domingo, 18 de novembro de 2012

CULTURA GLOBAL OU GLOBALIZAÇÃO DAS CULTURAS

GLOBALIZAÇÃO OU O MUNDO COMO UMA ALDEIA GLOBAL


- A globalização é um fenómeno que tem início por volta dos anos 60/70 do século XX e que se deve fundamentalmente ao desenvolvimento científico e tecnológico (TV, computadores, telemóvel, internet, satélites, melhores transportes, GPS, etc.), facto que passou a permitir melhores comunicações, transações, negócios, maior circulação de pessoas, bens, serviços, conhecimentos, informação, etc.

- Assim, podemos dizer que a globalização resulta de um sistema global de comunicações em expansão desde os anos 1960-70.

- A globalização é fruto da intensificação e aperfeiçoamento de fluxos, ou circulação, de produção, de informação, de consumo, de conhecimentos, de imagens e ideias, de cultura, de bens materiais, etc.

- Ela diz respeito também ao encurtamento das noções de tempo e distância, tornando tarefas complicadas em situações simples.


- Nas palavras de Edgar Morin, "o mundo torna-se cada vez mais um todo. Cada parte do mundo faz cada vez mais parte do mundo e o mundo, enquanto um todo, está cada vez mais presente em cada uma das suas partes". Assim, a globalização deveria servir para ajudar a combater os grandes males da humanidade, como a miséria, a fome, a pobreza, a guerra, a destruição do ambiente, etc., mas será que é isso que tem acontecido?

- Hoje, ainda segundo o mesmo autor, "cada indivíduo recebe em si ou consome informações e substâncias de todo o universo" (por exemplo, vestuário, música, cinema, gastronomia, imagens, ideias, religiôes, etc.).

- Assim, vivemos hoje numa era à escala planetária, porque na actualidade há uma enorme facilidade de circulação de bens, serviços, capitais, mentalidades e pessoas no planeta.

- Quer dizer que, como afirma Marshall McLuhan, vivemos presentemente naquilo que se pode chamar uma espécie de "Aldeia Global", pois tudo se sabe rapidamente, tudo está mais perto, tudo se pode vender em qualquer parte  e aquilo que acontece num sítio pode ter influência noutro sítio do mundo.

- Na verdade, o que ocorre num determinado ponto do globo (em termos sociais, políticos, económicos, culturais ou ambientais) pode conhecer-se e propagar-se com rapidez ao resto do planeta. A este respeito podem referir-se fenómenos como a gripe das aves, a poluição, a guerra do Iraque, a crise económica, etc.

- Cada homem em qualquer parte traz consigo ou pode sofrer em si o que se passa no mundo e o que faz mover o mundo (como aspectos ligados às migrações, guerras e negócios, ao petróleo e combustíveis, à crise, aos computadores e tecnologias, à TV, internet e cinema, às leis, modas e ambiente, etc.).



GLOBALIZAÇÃO ECONÓMICA

- A globalização, permitindo mais rapidez, melhores contactos  e comunicação e tornando possível o encurtar de distâncias, tinha que ser usada para fins comercias e para expandir negócios por todo o mundo.

- A globalização económica tem a ver com dinheiro, negócio e lucro a qualquer custo e, assim sendo, as empresas e os países mais poderosos fazem do mundo um negócio, tentando que os cidadãos do planeta se tornem seus clientes. As grandes empresas vão-se localizando em muitos países e abrindo lojas na maioria dos países (Nike, Coca-Cola, Nokia, McDonalds, etc.)

- É hoje incontestável que as sociedades e indústrias mais pujantes vendem e estão presentes em todos os países onde possam obter bons lucros, estabelecendo-se uma rede económica bastante complexa que leva a que as trocas de informação e os negócios aconteçam à escala mundial.

- Assim, verifica-se uma ligação e interdependência entre as sociedades do mundo, onde já nenhuma vive isolada ( a não ser casos muito especiais de comunidades fechadas, as quais também não dariam muito lucro).

- Os países mais poderosos impôem as suas leis e vontades sobre os países mais desfavorecidos, usando os recursos e a população (barata) destes países para obterem o máximo lucro.

- Os negócios e os acordos beneficiam sempre os mais poderosos (mesmo que tenham que recorrer à chantagem ou à guerra), principalmente quando se trata de ter poder sobre produtos como o petróleo, o gás natural, o armamento, as armas químicas, as tecnologias, os transportes, etc.).

- Os laços económicos e políticos atravessam as fronteiras e alteram a vida dos países e das pessoas. A publicidade acontece à escala mundial, as grandes empresas têm como potenciais clientes os cidadãos de todo o mundo.

- No entanto, podemos afirmar desde já que este processo de globalização é vantajoso para as empresas e os países mais poderosos, pois os negócios dos países desenvolvidos podem prejudicar comunidades inteiras em países economicamente frágeis. Estamos a falar de uma globalização económica, a qual tem em vista a obtenção do máximo lucro, seja de que maneira for e mesmo que isso prejudique comunidades, povos ou países.

- Vivemos num sistema que pode ser chamado (neo) Liberalismo Económico, onde tudo pode ser transformado em mercadoria (até a saúde e a educação se tornam um negócio), onde tudo se compra e se vende em qualquer lugar, mesmo que se prejudiquem povos, comunidades ou países.

Estamos a viver em pleno sistema capitalista, onde o valor supremo é o dinheiro e os bens materiais, e tudo pode ser feito para os obter em larga escala, desvalorizando-se o valor da pessoa humana e outros valores, como a solidariedade, a liberdade, a justiça, a honestidade, etc.

- É verdade que a globalização trouxe conforto e mais produtos e bens alimentares (basta entrarmos num hipermercado e olhar para a origem dos produtos), mas trouxe também mais desigualdade e miséria, mais desemprego e desprezo pelo ser humano, tornando ainda maior a distância que separa os ricos dos muito pobres.



GLOBALIZAÇÃO CULTURAL

- Hoje vivemos num mundo onde tudo está mais próximo e tudo se sabe mais rapidamente. Assim, os sítios, as cidades e os países tornam~se cada vez mais parecidos, onde a aculturação vai aumentando gradualmente .

- Ideias, marcas, modas , imagens, símbolos, hábitos "espalham-se" por todo o mundo a uma enorme velocidade, fazendo com que as diferentes culturas se aproximem e se tornem mais semelhantes.

- As empresas e países mais poderosos impõem os seus produtos, marcas, imagens e modas na  maior parte dos países, influenciando estilos, modos de vida, hábitos de consumo, etc. Deste modo, também os hábitos culturais que se exportam significam mais uma forma de obter lucros.

- O cinema, a música, o vestuário, até alguns termos linguísticos e a forma de preencher os dias vão-se tornando muito parecidos nas diferentes culturas (ex. facebook, shopping, net, TV, desporto, jogos-vídeo, etc.).

- Com a invasão das ideias, marcas, mentalidades, imagens, produtos, etc., as culturas locais vão-se descaracterizando, perdendo hábitos e tradições antigos, e enquadram-se naquilo que podemos chamar uma espécie de cultura global.

- Na verdade, em muitos países vive-se de forma muito semelhante, onde o telemóvel, o computador, a TV, o consumo de bens e produtos da mesma marca ocupam um lugar muito importante. Assistimos, pois, à globalização das culturas.

- Mesmo o processo de socialização que realizamos já não é fruto exclusivo da influência da cultura onde se vive, acabando também por se sofrer influências de outras culturas.



ALGUNS ANTECEDENTES HISTÓRICOS DO FENÓMENO DA GLOBALIZAÇÃO

- Podemos dizer que as descobertas marítimas (séculos XV e XVI) dos portugueses e espanhois levaram os povos ibéricos a muitos cantos do mundo, permitindo chamar a tais povos os precursores da globalização.

-No século XVIII surge a industrialização, aparecem novas tecnologias e melhoram os transportes. Verifica-se um aumento do contacto entre Estados, entre indústrias, facto que fará aumentar os negócios. Pode afirmar-se que aumentam as viagens neste período, promovendo-se um maior contacto entre pessoas culturas. É nesta época que surge o sistema que hoje conhecemos como capitalismo.

- A desintegração da ex União Soviética e a queda do Muro de Berlim vieram esbater (atenuar) as diferenças que havia entre os países comunistas e os países do resto da Europa e do continente americano......, fazendo com que os sistemas políticos se venham a tornar todos muito semelhantes. Assim, a maior parte dos países passa a adotar uma política chamada neo-liberalismo, onde tudo se pode tornar em mercadoria, ser comprado ou vendido, sem que o Estado regule tais operações. Deste modo, entramos defenitivamente e em força no sistema capitalista que hoje domina.

-Também a criação de instituições de caráter mundial, como as Nações Unidas, são uma forma de mostrar que os países tentam resolver alguns problemas mundiais em conjunto. Podemos , no entanto, questionar-nos sobre o êxito destas instituições.


DIFERENTES FORMAS DE ENCARAR A GLOBALIZAÇÃO

- Podemos ver a globalização como uma época histórica, uma era à escala global em que o mundo é chamado de "aldeia global".
- Podemos interpretar a globalização como um fenómeno sociológico que permite  "encolher" as noções de espaço e tempo, visto que as novas tecnologias e os meios de comunicação  tornam tudo mais perto, mais rápido e mais eficaz, o que provoca alterações na nossa forma de vida.
- Pode considerar-se a globalização como uma vitória dos valores liberais, isto é, do sistema denominado liberalismo económico, onde tudo pode ser tornado mercadoria, vendido e comprado, sistema esse que é regido pela economia de mercado (onde predomina a lei do mais forte...economicamente, claro), a qual permite que empresas e países mais poderosos se distanciem cada vez mais das pequenas empresas e dos países mais pobres.

-Pode-se encarar a globalização como um fenómeno sociopolítico onde se verifica uma integração cada vez maior de cada economía nacional na formação de um mercado mundial.
Assim sendo, podemos já hoje falar de uma economía-mundo não apenas como algo abstrato ou ideal, mas sim como algo de real e concreto.



A GLOBALIZAÇÃO E AS NOVAS TECNOLOGIAS

As novas tecnologias, entre outros aspetos:
-tornam o mundo mais pequeno;
-encurtam distâncias;
-simplificam processos;
-aproximam pessoas e países;
-possibilitam contactos e negócios rápidos;
-possibilitam negócios e projetos em qualquer lugar;
-fazem circular o conhecimento e a informação a grande velocidade;
-possibilitam a publicidade à escala mundial;
-fazem com que a cultura e a economia sejam dominadas pelos mais poderosos, o que faz com que os mais ricos fiquem cada vez mais ricos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário